sábado, 3 de novembro de 2007


Amada,

Me tornas vasto

Em teu abraço

Lúbrico e travesso,

Me abres a alma

por cada um dos poros,

e nela te acomodas

Instrumento e objeto.

2 comentários:

  1. Está cada vez mais lindo teu blog, Vilemar!
    Os poemas...hum... um deleite para o coração!
    Com admiração pela tua arte!
    um abraço e flores @>--

    ResponderExcluir
  2. Belo! Ternamente poético!

    Abraços,

    Gerlane

    ResponderExcluir