domingo, 30 de março de 2008








Vai o silêncio à frente

dos gestos dos olhos

da paixão

e do que escrevo;


na palavra recolhida

o clarão de nossas pupilas,

fronteiras da escuridão,

o expiar do mundo e seu burburinho.


No silêncio fez-se a luz,

no luar silencial

o rosto da mulher amada

e a cor dos sonhos

4 comentários:

  1. Adoro a cor dos sonhos.
    Talvez porque até agora foi a única cor que conheci....
    Parabéns, palavra tão usada!
    Muitas vezes, sem pensar. Agora é a única palavra que encontrei sentido.
    Abraço grande,
    Verônica Aroucha

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Veronica, pelo doce parabéns tão usado, mas não igualado em sabor, entusiasmo e cor, quanto o seu tem.
    Vilemar

    ResponderExcluir