domingo, 21 de dezembro de 2008


Sou pó e sombras;
Insosso;
Sombra
Diluída na dor suja
Dos contratempos humanos.
Pó dos mortos
E patético.
Pó e sombras que clamam o Sopro,
Que muda sombras em fogo
E o pó esvoaçante cauteriza
E prencha o coração vazio,
E faça argamassa,
Na qual decrete e estabeleça
O devir do homo-logos primevo.

2 comentários:

  1. Tenha um excelente 2009, com plena realização de todos os seus projectos.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. DEPOIS DO CARNAVAL, QUANDO SAMPA VOLTA A ANDAR VENHO A CATA DE POEMAS...!?!

    bijok
    esperando atualizações rsrrsrs
    faça o que mando , não faça o que eu faço

    ResponderExcluir